Baixa autoestima pode prejudicar seu desempenho ao volante

Por medo de dirigir Comente!
Baixa autoestima

Entenda como sentir-se pouco valorizado pode atrapalhar a sua força de vontade, gerar medo e sofrimento.

Quando você está aprendendo ou voltando a dirigir é comum que haja um pouco de ansiedade envolvida. Podem existir também momentos de frustração, insegurança e baixa autoestima.

No entanto para passar pelo processo de forma saudável, existem apenas três passos: você precisa dominar a teoria, treinar as suas habilidades e, principalmente, cuidar do seu emocional.

Por que a baixa autoestima reflete na postura ao volante?

Quando você se sente menos importante ou menos capaz que os outros, os reflexos dessa autopercepção podem ser sentidos em diferentes aspectos da sua vida, prejudicando o seu desempenho.

Em geral, pessoas com baixa autoestima tendem a minimizar as suas necessidades e ter dificuldades para solicitar seus direitos. Além disso, elas também costumam evitar situações de exposição, podendo acometer a saúde mental e trazer prejuízos para o desenvolvimento social.

Por tudo isso, a ligação entre baixa autoestima e o medo de dirigir é estreita. Se a autopercepção for negativa, certamente os reflexos também serão sentidos na forma com que a pessoa encara o volante.

Os perigos dessa combinação para o corpo e a mente

Quase sem perceber, uma pessoa que sofre de baixa autoestima acaba nutrindo uma visão distorcida acerca de si mesma.

No geral isso acontece porque acaba lhe faltando amor próprio. Por isso também, ela, seguidas vezes, faz coisas que vão contra a sua própria vontade, com o objetivo de agradar os outros e ter a aprovação alheia.

No entanto, não é possível ser feliz dessa forma. Afinal, se você não tem um bom relacionamento consigo mesmo é bem provável que você se sinta inseguro e não consiga confiar em si mesmo. Com isso, fica difícil enxergar seus pontos fortes, sua beleza e suas competências, inclusive dirigir bem.

A visão distorcida acerca de si mesmo pode levar a depressão e outras fobias

Agindo assim, a pessoa dá vazão para que sentimentos negativos e autodestrutivos, como o “eu não consigo fazer nada direito”, acompanhem o seu dia a dia. Então, ela entra num ciclo vicioso, que dificulta que ela tenha força de vontade para sair dessa situação.

Por consequência, essa baixa autoestima pode levar à depressão. E ainda, ao estresse, problemas de relacionamento e outras fobias, como é o caso do medo de dirigir.

Por isso, aos primeiros sinais, é importante recorrer à ajuda profissional. É essa orientação, capacitada e sem julgamento, que vai fazer toda a diferença na decisão por uma vida mais leve e positiva.

A psicoterapia como meio para superar a baixa autoestima

Pessoas que tem autoestima baixa, muitas vezes, estão tão convictas das suas crenças negativas que acabam não percebendo que esses sentimentos não são verdadeiros.

Elas se colocam na posição de vítima o tempo inteiro. Também evitam se expressar, são dependentes da opinião alheia, sempre enxergam o lado negativo das coisas e duvidam do seu potencial.

A boa notícia é que é possível contornar esses traços de personalidade com a ajuda da psicoterapia.

Durante as sessões, o descompasso que existe entre a realidade e o processamento da informação na mente da pessoa pode ser tratado.

Com isso, a pessoa consegue ter mais controle sobre o seu emocional. Assim, tem as ferramentas necessárias para vencer a baixa autoestima, aumentando seu amor próprio para ser mais feliz.

Conte com a Psicotrânsito

Se ficou alguma dúvida sobre a relação entre a baixa autoestima e o medo de dirigir, deixe o seu comentário abaixo.

Se você quiser, também pode agendar uma consulta para uma conversa particular. Lembre-se que você pode e merece ser feliz!

Nos vemos em breve!

Tagged under:

Dê sua opinião!