A importância de um bom instrutor de trânsito

instrutor de trânsito

Para além do conteúdo técnico, o bom profissional deve reunir habilidades que permitam que ele ajude o aluno a enfrentar seus medos, angústias e desafios que possam se colocar diante dele.

Aprender ou reaprender a dirigir, tendo ao lado um bom instrutor de trânsito impacta positivamente no desempenho do aluno. Afinal, como em qualquer área o professor é o tipo de profissional que faz a diferença na vida de qualquer pessoa.

Mas, para que essa conexão funcione do jeito que tem que ser, a empatia na relação instrutor e aluno precisa prevalecer.

Instrutores teóricos e práticos: entenda as funções de cada um

De acordo com a lei 12.302/10, o instrutor de trânsito é o profissional responsável pela formação de condutores no Brasil.

Para o exercício da profissão, os instrutores devem possuir ensino médio completo, curso específico de instrutor de trânsito, no mínimo 21 anos de idade e pelo menos um ano de categoria D – condutor de veículos, utilizados no transporte de passageiros, cuja lotação exceda a 08 passageiros, excluindo o motorista

CTA – Incluir um banner para o curso de Instrutor de CFC do Icetran.

O instrutor teórico

A ele cabe, enquanto instrutor teórico, orientar o aluno para que ele compreenda a legislação, a sinalização, tenha noções de primeiros socorros, direção defensiva e uma série de conceitos de modo que o aluno entenda a importância das suas ações para um trânsito mais saudável e seguro.

O instrutor prático

Já ao instrutor prático, cabe a responsabilidade de fazer com que o aluno adquira as habilidades necessárias para operar um veículo automotor. É nessa etapa onde teoria e prática se encontram, e o conteúdo aprendido em sala de aula pode ser aplicado no dia a dia no trânsito.

A responsabilidade de ajudar o aluno a vencer seus medos

De acordo com alguns estudos, quando conseguimos criar uma conexão entre a atividade que estamos realizando e suas consequências práticas, absorvemos a informação de forma mais significativa.

Nesta lógica, um instrutor paciente, atencioso e com boa didática será mais bem sucedido na sua tarefa de ensinar.

Sobretudo, porque o desafio de aprender ou voltar a dirigir é complexo para a maioria das pessoas. E por se tratar de algo novo é normal que nesse momento o aluno esteja inseguro e ansioso. Cabe ao instrutor de trânsito, portanto, passar tranquilidade para essa pessoa.

É assim em tudo o que aprendemos. E com a direção não é diferente. Com o controle emocional e o exercício da prática conseguimos dominar a nova habilidade. Para isso, um bom instrutor de trânsito é peça fundamental.

Treinamentos para habilitados

Quase todo mundo conhece alguém que frequentou as aulas práticas, mas depois que tirou a CNH descobriu que tem medo de dirigir. Em muitos desses casos, o medo pode ser tão intenso que é capaz de fazer a pessoa parar de dirigir.

Para situações como essas, o treinamento para habilitados é o recurso mais indicado. Além das aulas, a pessoa tem acesso a um acompanhamento psicológico. O que é essencial para que ela possa identificar as próprias barreiras e vencer o medo de dirigir.

Você e o seu instrutor precisam estar em sintonia

Para que o aprendizado possa ser bem aproveitado, professor e aluno precisam estar em sintonia.

Se de um lado, o instrutor de trânsito precisa demonstrar afetividade e compromisso pelo ato de ensinar, o aluno também precisa fazer a sua parte, aceitando esse desafio de peito aberto.

O ideal é contar com alguém em que você se sinta à vontade, e principalmente, que esteja preparado para atender à sua necessidade, seja ela a habilidade na direção ou a superação do medo de dirigir.

Ah, e se perceber que algo no meio do caminho não está legal, seja franco com o seu instrutor. Não deixe que os problemas cheguem no limite para tentar resolvê-los. Afinal, é conversando que a gente se entende.

Tagged under:

Dê sua opinião!